Blog Top Sites

Pesquisar este blog

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

SUVINIL TINTAS HISTORIA

ganhe brindes e amostras gratisnet
http://amostragratisnet.blogspot.com

EU RECOMENDO !!
SUVINIL TINTAS 

visualizar


http://www.youtube.com/watch?v=C8Mekzo5T2I

Em 48 anos, a Suvinil construiu sua história. Conquistamos seu respeito através de nosso empenho em oferecer produtos de qualidade. Por isso, a Suvinil é hoje uma marca de personalidade única no mercado, reconhecida no Brasil.

visualizar


http://www.youtube.com/watch?v=21XObit4KxA&NR=1
A Suvinil começa com uma pequena fábrica nacional de tintas à base de látex sintético.

A história da Suvinil começa em 1961...


...com a Super, uma pequena fábrica nacional de tintas à base de látex sintético, fundada por Olócio Bueno e comprada pela Glasurit, empresa da BASF. Para alguns, a vida começa aos quarenta. Para a Suvinil, a plenitude chegou antes. Mais exatamente quando atingiu a liderança do segmento de tintas imobiliárias, na década de 80, e viu aumentar, ano a ano, sua participação no mercado brasileiro.

visualizar


http://www.youtube.com/watch?v=5Pa-GGpNwWA&feature=related
A Suvinil começa quando o empresário paulista Olócio Bueno, proprietário da Super, até então fabricante de tintas para automóveis, decidiu copiar uma tinta à base de látex sintético, chamada PVA.

O composto, também conhecido popularmente como vinil, levou Bueno a mudar o nome de sua fábrica para Suvinil, formado por 'Su', de Super, e 'Vinil'. Três anos mais tarde, o negócio de tintas automobilísticas crescia e nascia a Combilaca. Nome inspirado na Kombi, da Volkswagen, empresa para quem vendia praticamente toda a sua produção de tinta automotiva.

1961 - A BASF entra no ramo de tintas.
Nessa mesma ocasião, em 1961, na Alemanha, a BASF entrava no ramo de tintas, adquirindo a Glasurit Werke, uma das maiores companhias européias do setor. Após tentativas em vão com empresas americanas, japonesas e austríacas, Bueno dirigiu-se à BASF ao saber que a Glasurit pretendia instalar-se no Brasil. Em seu depoimento para o livro 'A indústria de tintas no Brasil', Bueno conta:


"Eu escrevi para os americanos para vender a fábrica, e eles responderam que para conversar comigo eu precisava depositar 100 mil dólares na conta deles. Tentei a DuPont, mas eles queriam saber tanta coisa que eu desisti. Aí eu pensei: 'Os alemães perderam a guerra e devem ser mais modestos'".

Os alemães compraram 60% das ações da Combilaca, cuja razão social passou a ser Glasurit-Combilaca Ltda. Em 1969, a BASF fundou a Glasurit do Brasil S.A., que incorporou a Combilaca e a Suvinil.

A Suvinil surgia com a produção centralizada em São Bernardo do Campo e algumas estratégias inovadoras: o diretor de vendas, Augusto Cretella, procurava por pintores de parede e fornecia latas de tinta com modificações para saber se o produto os agradava. As respostas dos pintores eram encaminhadas ao laboratório com a recomendação de que fizessem as alterações mais adequadas. Com isso, a Suvinil produzia a tinta que o pintor queria. Douglas Henrique Orlando, proprietário da Casa São Paulo, que há 48 anos é cliente da Suvinil, relembra: "Eles forneciam tinta diretamente para pintores e empresas de pintura. Acho que isso ajudou a marca a se aperfeiçoar mais rapidamente".

Diferencial nas estratégias

A fábrica de São Bernardo crescia velozmente. Tanto, que a década de 70 foi empregada na expansão da Glasurit e da Suvinil para outras regiões do país. Em 1975, foram instalados escritórios de vendas no Sul, no Nordeste e no Rio de Janeiro. Mais tarde, entre 1977 e 1979, impulsionada pelo crescimento do segmento de construção civil (alavancado pelo 'milagre econômico'), a BASF inaugurava, quase ao mesmo tempo, três fábricas: a de Santa Cruz, no Rio de Janeiro; a de Sapucaia, no Rio Grande do Sul e a de Jaboatão, no Recife.

Ao encontro do mercado

Após o fantástico período de crescimento, veio a diversificação. Ao entrar na década de 80, os dirigentes da BASF perceberam que já não bastava produzir o PVA. Era necessário ir ao encontro do mercado, que começava a demandar por novidades. Assim, em 1983, surgiu a primeira tinta Suvinil não destinada às paredes.

Era a Suvinil Piso, resultado de avanços tecnológicos que permitiram produzir uma tinta tão resistente que se podia pisar nela. Um ano depois seria lançada a tinta acrílica. Mais uma opção durável,resistente e lavável, que propiciava brilho às paredes, diferenciado-a do PVA. Mais tarde, seria lançado o acabamento acetinado. É também dessa época o uso do patrocínio para reforçar a marca. A primeira vez que a Suvinil lançou-se na estratégia foi ao assinar contrato com o Santos Futebol Clube, que vestindo a camiseta com a estampa Suvinil, foi à França e venceu o torneio europeu de 1987.

O mais expressivo patrocínio da Suvinil esteve e está ligado, entretanto, à área da cultura e da história. Trata-se do Suvinil – Cor, Arquitetura e Memória, projeto criado para pintar e restaurar edifícios de importância histórica para o país.

A primeira intervenção aconteceu em 1988, no Estádio Esportivo do Pacaembu. Usando 80 mil litros de tinta, a Suvinil deu cor ao estádio num trabalho belíssimo, assinado pelo arquiteto Roberto Tanaka.

Muitos outros trabalhos vieram posteriormente para restituir as cores de patrimônios históricos de Norte e a Sul do país. Entre eles, a pintura das colunas de sustentação do Museu de Arte de São Paulo (MASP), seguindo o projeto original de sua criadora, a arquiteta Lina Bo Bardi, e a recuperação das construções históricas de Fernando de Noronha, que foram pintadas com as cores originais usadas pelos portugueses no século XIX.

No começo da década de 90, com a abertura do Cone Sul, a unidade de tintas da BASF iniciou planos para conquistar a região com a marca Suvinil, que logo se fez presente na Argentina, no Paraguai e no Uruguai. No Brasil, a tecnologia das máquinas tintométricas, já usadas para a repintura de automóveis, chegava em 1994 aos balcões das lojas de tintas decorativas.

A BASF não tardou a lançar seu equipamento, batizado de Sistema SelfColor. Sobre o lançamento, Paulo Roberto Rocha Almeida, proprietário da Mafesa, de Porto Alegre, afirma: 'Foi a Suvinil quem impulsionou o consumo de tintas produzidas por essas máquinas.'

Em 1995, a Suvinil voltou aos estádios de futebol, desta vez no memorável patrocínio à equipe do Corinthians, que se tornaria campeã do Torneio Paulista naquele ano.

Virada no jogo

A segunda metade da década de 90, notabilizou-se pelos efeitos positivos do Plano Real sobre a economia.

No rastro da queda da inflação e da estabilidade da moeda, o consumo de tintas ganhava novo impulso. Porém, o outro lado da moeda também era visível através da maior competitividade do mercado, que assistiu ao ingresso de novos fabricantes e ao surgimento das tintas 'econômicas'. A partir desse momento, já não bastava à Suvinil ser líder de segmento ou ser reconhecida como sinônimo de qualidade. Era preciso mais – os novos tempos demandavam agilidade, agressividade e ousadia.

A BASF iniciou então um bem-sucedido plano, que compreendia o aumento de seu portfólio de produtos, a adoção de uma estratégia de marketing mais agressiva e a criação de um eficaz projeto de relacionamento com os clientes. 'Esse foi um momento marcante na história da Suvinil', comenta Douglas Henrique Orlando, proprietário da Casa São Paulo, que há mais de 30 anos é cliente da marca. 'A Suvinil tornou-se incomparavelmente melhor – os investimentos em marketing foram maiores, a relação com os clientes se aprimorou', diz Antonio Carlos de Pinho, da Pinholac, estabelecimento com 50 anos de idade e cliente Suvinil desde o início da marca, concorda: 'A Suvinil sempre foi uma parceira marcante, mas indiscutivelmente hoje é a melhor.'

Ainda como parte da estratégia de relacionamento, em outubro de 1996, foi lançada a revista Suvinil Express, de 20 páginas e 28 mil exemplares. De abrangência nacional, é distribuída gratuitamente aos clientes Suvinil, pintores, decoradores, arquitetos e consumidores.

Marca rejuvenescida

Logo Antigo da Suvinil Logo Novo da Suvinil
Mas não bastava ter um marketing agressivo e uma nova maneira de se relacionar com os clientes. A virada precisava ir mais longe, chegar à alma da marca.

Assim, ao completar 37 anos de idade, em 1998, a Suvinil foi submetida a um lifting rejuvenescedor, para que sua imagem correspondesse à revolução tecnológica de seus produtos.

Desse modo, a nova identidade corporativa foi redesenhada agregando ao nome Suvinil a idéia de modernidade, movimento, inovação e emoção. Um S dourado foi acrescentado ao logotipo, conferindo mais nobreza aos atributos da marca. As embalagens também foram renovadas e passaram a trazer todas as informações que o consumidor pedia, como a maneira de aplicar e os benefícios do produto.

A remodelação atingiu igualmente o layout das lojas de tintas. A BASF desenvolveu um projeto de merchandising que mexeu para sempre com a aparência dos estabelecimentos. Eles deixaram de se parecer com depósitos de latas para se parecerem com butiques atraentes e organizadas.

Por meio de um manual que sua equipe tem na mão e na ponta da língua, a empresa orientou os lojistas na correta exposição de produtos e como fazer uma boa sinalização.

Estimulou a reforma das fachadas das lojas e investiu em vistosos cartazes e banners para decorar o ponto-de-venda.

O resultado de toda essa estratégia pode ser avaliado pela declaração de Paulo Roberto Rocha Almeida, proprietário da rede Mafesa, de Porto Alegre, revendedor exclusivo Suvinil desde que entrou no negócio, em 1995. 'Acredito que uma das razões do nosso crescimento (quatro lojas em seis anos) resida nessas ações da empresa e no relacionamento raro, de total confiança, que temos com ela', afirma.

Ampliação de portfólio

A partir de 1997, a Suvinil deu início à diversificação da produção lançando um novo produto a cada ano.

Já não era suficiente possuir as melhores tintas do mercado – era preciso atender às novas necessidades de consumo. Deste modo, surgiram naquele ano as tintas Fachada e Gold.

A primeira revolucionou o mercado com suas características de flexibilidade, que permite acompanhar as contrações e dilatações das paredes, tornando-as impermeáveis e resistentes a infiltrações causadas por pequenas fissuras e trincas. Foram necessários cinco anos em pesquisas para chegar a esse resultado.

História da Suvinil
João Alves de Souza, proprietário da Colormat, de Porto Alegre, recorda a campanha de lançamento de Fachada: 'Foi uma das melhores já realizadas pela Suvinil.' Já o lançamento da Gold, uma tinta premium, 100% acrílica, atendeu a um mercado sofisticado. Seu requintado acabamento acetinado recebeu uma cartela de doze cores exclusivas, assinada pelo renomado arquiteto Roberto Migoto.


História da Suvinil


História da SuvinilEm março de 2000, a Suvinil novamente saiu na frente ao lançar o primeiro Fundo Preparador para Paredes Base Água. Foi necessário empregar um ano e meio de pesquisa para chegar ao produto.

Seu principal diferencial é a diluição em água, dispensando o solvente. Essa característica faz dele um produto de baixíssimo odor e atende à antiga reivindicação dos pintores. Outro produto dessa época foi o Suvinil Verniz Alta Performance, também conhecido por Stain, cujo destaque é a máxima resistência e o rendimento duplamente superior.

Ainda no mesmo ano, chegava às lojas o Texturatto nas versões Renaissance e Classic. Hidrorrepelente, requintado, econômico e prático, passou por rigorosos testes que lhe asseguram alto desempenho e excelente aceitação por parte do consumidor. Em 2001, frente ao sucesso do produto, a linha recebeu o Suvinil Texturatto Originalle, de acabamento mais fino, sem grãos.

Em maio de 2001, foi criado o Suvinil Esmalte Epóxi, ideal para ser usado em azulejos, pisos, alvenaria, reboco, concreto, superfícies metálicas e madeiras não-resinosas. Possibilita mudar ou reformar ambientes sem necessidade de quebrar azulejos.

2002 foi o ano dos lançamentos da Suvinil. Pensando sempre em ajudar o consumidor, a marca lançou o Suvinil Exteriores, um produto para uso externo, que é resistente a intempéries, trazendo mais durabilidade para as pinturas externas.

Ainda em 2002, a Suvinil lançou mais uma inovação: Suvinil Magic, com uma tecnologia que permite a fixação de magnetos na parede, que permite ao consumidor ousar no momento de decoração com magnetos, fotos, postais, etc.

Para ampliar as opções do consumidor em acabamentos diferenciados, a Linha Effect Line veio com os produtos Gel de Efeitos Especiais, que traz efeitos de envelhecimento nas texturas; e Suvinil Acrílico Perolado, que é um produto inovador, exclusivo da Suvinil e que permite acabamento com brilho perolado.

Em 2003, a linha Suvinil Construções foi especialmente desenvolvida para atender às necessidades do mercado de construção civil. São tintas para aplicação específica nos mais diversos tipos de superfície, como por exemplo: alvenaria, gesso, blocos de concreto, concreto ou paredes já pintadas.

Outros produtos lançados neste mesmo ano foram o Suvinil Fundo para Galvanizados, que é indicado para proteger e dar aderência ao esmalte na aplicação sobre superfícies galvanizadas ou zincadas em pinturas novas ou repinturas; e completando a família da Texturatto, Suvinil Marmoratto - uma textura lisa, de acabamento vitrificado, que traz para as paredes um efeito marmorizado inovador e muito elegante.

As sensações da vida estão em toda parte. Despertam os sentidos e influenciam seu dia-a-dia. Em 2004, foi lançado as cores Suvinil SelfColor para despertar as melhores sensações do seu lar: tranqüilidade, alegria, acolhimento, energia. As cores têm vida própria. Vibram, relaxam e inspiram as emoções. Colocando essas sensações dentro da sua casa, tudo fica especial, único.

Quer experimentar as cores da Suvinil na sua parede antes de pintar? - esse é o propósito do ColorTest, uma pequena embalagem plástica de 202,5 ml com a cor que você escolheu. Só a Suvinil tem.

Em 2006, a marca lança sua nova campanha - Efeito Suvinil: Renovar é fácil. É só querer. A campanha inspira o consumidor a renovar os ambientes de sua casa de uma forma fácil e rápida: basta experimentar as cores e sensações da Suvinil em uma parede para renovar o astral da sua casa.

Neste mesmo ano, a Suvinil lançou o inovador Esmalte Seca Rápido, que é um esmalte a base-água, com baixíssimo odor, secagem rápida, aplicação em madeira e multimetais e favorável ao meio ambiente, já que dispensa o uso de solventes. Em 2007, o produto foi reconhecido como Inovação Tecnológica pela ANAMACO.

A trajetória de sucesso da Suvinil pode ser expressa na sua privilegiada participação no mercado brasileiro de tintas imobiliárias. Ou mesmo por uma pesquisa sobre lembrança de marca realizada, pelo Instituto Datafolha. Pela quinta vez consecutiva, em 2006, a marca mais lembrada no segmento de tintas é Suvinil, com 39% das respostas.

O ano de 2008 foi bastante significativo para a Suvinil. Diversos lançamentos e novidades, que incluem desde novos produtos à website interativo, foram criados exclusivamente para facilitar a vida do consumidor, unindo praticidade e tecnologia.

Um dos principais lançamentos deste ano foram os Acrílicos "Sem Cheiro", que inclui os quatro principais acrílicos da marca - Toque de Seda, Limpa Fácil, Fosco e Semi-Brilho. Os lançamentos asseguram maior bem-estar ao consumidor no processo de pintura. Não é mais preciso alterar a rotina da família esperando 17 horas, em média, para o desaparecimento do cheiro da tinta. Com novos acrílicos Suvinil o cheiro da tinta sai em até três horas após a aplicação.

Outra novidade é o Suvinil Látex Maxx, cujas principais características são resistência duas vezes maior e rendimento 40% superior. Sua formulação à base de nanopartículas, tecnologia exclusiva da Suvinil, permitiu a criação de uma tinta muito mais robusta e que oferece ao mesmo tempo resistência, rendimento e o ótimo acabamento que consagrou o Látex Suvinil no mercado.

O Fundo Branco Fosco Seca Rápido também veio para facilitar ainda mais a vida do consumidor. O produto traz os diferenciais da linha Seca Rápido, como secagem ao toque em 30 minutos, baixo odor e maior praticidade, pois dispensa o uso de aguarrás.

Ainda em 2008, 23 novas cores prontas foram lançadas, com destaque para o Tomate Seco, Tâmara, Verde Orquídea e Safári, além do Viena e Amazônia, que são encontrados no Suvinil Exteriores, linha mais resistente às ações do tempo. O leque de cores apresenta 80 novas cores que também refletem as tendências do ano. Nas cartelas de combinações de cores, o consumidor encontra sugestões prática para diversas tonalidades.

O Color Test ganhou nova embalagem, mais moderna, colorida e com uma parte transparente que permite a vizualização da cor escolhida.

Para o consumidor testar as mais diversas combinações de cores da cartela 2008/2009, a Suvinil lança também seu novo website, que permite maior interatividade com o internauta e apresenta o exclusivo Simulador de Decoração, no qual é possível fazer o upload da foto de sua casa e colorir as paredes e móveis com as tonalidades que desejar.

Glasurit

A Glasurit, marca de tintas imobiliárias da BASF, assim como a Suvinil, surge com novas embalagens para seus produtos, nova cartela de cores e novo material promocional. As novas embalagens vêm com uma linguagem clara e direta que facilita a comunicação com os consumidores e os materiais promocionais trazem dicas de aplicação do produto, facilitando a identificação da superfície a ser pintada. A nova cartela de cores possui 18 novas tonalidades para o Glasurit Acrílico, Látex Acrílico e Esmaltes Sintéticos, entre elas o Cereja, Cenoura e Amarelo Ouro.

ColorTest
Linha Suvinil Sem CheiroLatex Maxx
Destaque para o Glasurit Látex Acrílico que oferece o melhor rendimento no segmento intermediário, até 240 m². A marca é a primeira a apresentar suas embalagens adequadas ao PSQ (Programa Setorial da Qualidade) na lata e ter o selo de qualidade aprovada pela Suvinil.

  SUVINIL SIMULADOR DE DECORAÇÂO

http://www.suvinil.com.br/#0


Postar um comentário

Postagens populares

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

ganhe AMOSTRAGRATISNET